Como Conseguir um Bom Título para o Sermão

título do sermão

A sugestão para o título do Sermão, em algumas pesquisas, aparece bem clara, desde o início. Às vezes é uma parte do próprio texto que chama a atenção do pregador.

Como Conseguir um Bom Título para o Sermão

Bons títulos podem ser obtidos a partir de palavras do próprio texto básico. Basta a citação de alguns exemplos, todos no Salmo 23:

V. 1 – “O SENHOR É O MEU PASTOR”
V. 1 – “NADA ME FALTARÁ”
V. 4 – “PELO VALE DA SOMBRA DA MORTE”
V. 4 – “NÃO TEMEREI”
V. 5 – “O MEU CÁLICE TRANSBORDA”
V. 6 – “HABITAREI NA CASA DO SENHOR”

O pregador pode estabelecer o título a partir de uma frase do texto que fala de um modo especial, enunciando-o não mais com as palavras do texto, mas com suas próprias palavras.

Usaremos o mesmo texto (Salmo 23) para a compreensão desta realidade:

V. 1 – QUANDO O SENHOR É O PASTOR
V. 1 – PODE NADA NOS FALTAR?
V. 4 – ANDANDO PELO VALE SOMBRIO
V. 4 – SEM MEDO DA MORTE
V. 5 – CÁLICE TRANSBORDANTE
V. 6 – HABITANDO NA CASA DO SENHOR.

É preciso cuidado, contudo, para que a pressa em determinar o título não prejudique as demais partes da pesquisa, dificultando a elaboração do sermão como um todo.

O melhor título não é necessariamente aquele cujas palavras fazem parte do texto, mas o que, mesmo utilizando palavras do pregador, traduz, de imediato, a verdade contida no texto.

Nesta etapa do trabalho, o pregador deve ter em mente que o título precisa: ser extraído da pesquisa, ser um resumo da tese, ser capaz de traduzir de modo claro o pensamento do texto para o momento atual, ser atraente, ser esboçável, ser honesto, ser capaz de comunicar o que vai ser explanado, ilustrado e aplicado no sermão.

Observe alguns exemplos de títulos, tirados da carta aos Filipenses, que vêm como resultado da pesquisa:


(Exemplo 01)

Texto – Filipenses 1.21

“Porque para mim o viver é Cristo e o morrer é lucro”.

ICT – O Apóstolo Paulo apresentou Cristo como a razão do seu viver.

Tese – Cristo é a razão do viver de todos quantos nele confiam como Senhor e Salvador.

PB – Devocional

PE – Motivar os crentes a terem em Jesus Cristo a razão do viver.

Título – CRISTO, RAZÃO DO VIVER


(Exemplo 02) – Texto – Filipenses 3.2-11

ICT – Paulo deixou claro que somente em Cristo estava o valor de sua vida.

Tese – Somente em Cristo a vida encontra seu valor supremo.

PB – Evangelístico

PE – Persuadir os ouvintes a encontrar em Cristo o valor do viver.

Título – CRISTO, VALOR DO VIVER


(Exemplo 03)

Texto – Filipenses 4.4

“Regozijai-vos sempre no Senhor; outra vez digo, regozijai-vos “.

ICT – Paulo aconselhou os crentes em Filipos a se alegrarem sempre no Senhor.

Tese – É em Cristo que devemos nos alegrar sempre.

PB – Ético

PE – Desafiar os ouvintes a se alegrarem sempre em Cristo.

Título – CRISTO, ALEGRIA DO VIVER


(Exemplo 04)

Texto – Filipenses 4.13

“Posso todas as coisas naquele que me fortalece”.

ICT – Paulo afirmou que tudo podia no Senhor que o fortalecia.

Tese – Quando Cristo é Senhor somos fortalecidos nele.

PB – Pastoral

PE – Persuadir os atribulados a confiar em Cristo para serem fortalecidos nEle.

Título – CRISTO, FORÇA DO VIVER


Um bom título pode ser enunciado através de uma interrogação, que deverá ser respondida no corpo do sermão.

Há muitas perguntas que podem ser usadas como títulos.

Observe os exemplos:

  • AVIVADOS OU FRIOS?
  • É RAZOÁVEL ESTA IRA?
  • LOUCO, POR QUÊ?
  • ONDE ESTÁ TEU IRMÃO?
  • ONDE ESTÁS?
  • POR QUE ANDAR LAMENTANDO?
  • ONDE ESTÁS?
  • E POR QUE CHORAS?
  • POR QUE ESTÁS TRISTE?
  • POR QUE TE ABATES?
  • QUAL A RESPOSTA?
  • QUEM É JESUS?
  • QUEM É O MAIOR?
  • QUE FAREMOS?
  • QUE FAZES?
  • VIVEMOS PELA FÉ?
pregador-de-qualidade-biblioteca-do-pregador

Características de Um Bom Título do Sermão

Título do Sermão com Bíblico

O bom título é pertinente ao texto; é capaz de resumir a mensagem para o momento atual.

A melhor maneira de testar a biblicidade do título é através da pergunta:

A afirmação (ou interrogação) do título é a realidade apresentada no texto básico? Vamos ilustrar:

O conhecido texto de 1 Reis 19, apresenta o Profeta Elias em sua solidão e desânimo, fugindo com medo de Jezabel, quando foi encontrado pelo Senhor.

Observe as sugestões de títulos no citado texto:

(1) ÂNIMO NO DESÂNIMO;
(2) O TOQUE DO SENHOR;
(3) A NOITE NA CAVERNA;
(4) “QUE FAZES AQUI?”;
(5) SOLITÁRIO NA MULTIDÃO;
(6) QUANDO O SENHOR PASSA.

Título do Sermão com Atualidade

Ser bíblico é importante, mas o bom título é também uma frase contextualizada.

Se as palavras que compõem o título estiverem somente relacionadas ao texto, sem um elo com o momento atual, o título não terá condições de chamar a atenção dos ouvintes.

Rápida análise das sugestões de títulos propostas para o texto de 1 Reis 19, dá-nos uma visão clara da importância de o título falar às pessoas onde e como se encontram.

(1) ANIMO NO DESÂNIMO.

Não se trata de uma referência apenas ao que aconteceu ao profeta Elias, mas fala de algo que se dá a todo instante e com muita frequência quando vivemos.

Todos nós desanimamos e, na presença de Deus podemos encontrar o ânimo que vence o desânimo.

(2) O TOQUE DO SENHOR.

Se no lugar desta afirmação usássemos: Elias foi tocado pelo Senhor, o título perderia sua capacidade
de atrair.

Entretanto, o toque do Senhor não se refere apenas a algo do passado: as pessoas hoje continuam sendo tocadas pelo Senhor.

(3) A NOITE NA CAVERNA.

Se fosse: Elias passou a noite na caverna, estaria muito distante; À noite na caverna é atual, pois muitas
vezes, hoje, fugimos para cavernas, tentando escapar.

(4) “QUE FAZES AQUI?”

Naturalmente a indagação foi feita a Elias, mas o título interrogativo, sem uma referência direta a Elias, dá a cada ouvinte a oportunidade de colocar seu nome no lugar de Elias.

(5) SOLITÁRIO NA MULTIDÃO.

Quantas vezes, como Elias, nos sentimos sozinhos, mesmo cercados de pessoas que podem ser usadas por
Deus para nos ajudar.

(6) QUANDO O SENHOR PASSA.

A experiência de esperar o Senhor passar pode ser vivida pelos ouvintes hoje.

Título do Sermão com Honestidade

Que promessas estão embutidas nos títulos?

Eles são compostos por palavras que, mesmo não apresentando um sentido completo, geralmente constituem-se em promessas e criam expectativas na mente dos ouvintes.

Alguns títulos apresentam falsas promessas; são frases de efeito, que atraem a atenção, mas não prendem o ouvinte porque tudo quanto prometem fica sem cumprimento.

É o caso do pregador que propõe como título do sermão, “Qual a Origem do Mal?”

E gasta todo o tempo circundando o assunto, sem responder objetiva e profundamente a pergunta por ele levantada.

Quando o título é uma afirmação, os ouvintes esperam que ela seja esclarecida e quando é uma interrogação, esperam a resposta, ao longo da mensagem.

Observe nos exemplos a seguir, a responsabilidade em cumprir o que prometemos no título:

PEDRAS NO UNGIDO DO SENHOR (2 Samuel 16.5-14)

Deve versar sobre pedras atiradas contra o ungido do Senhor.

Não dá para, usando este título, apresentar um enfoque das bênçãos na vida do ungido; as bênçãos até podem e devem ser mencionadas, porém jamais ser o principal enfoque, com este título.

VANTAGENS DO HOMEM PIEDOSO (SaImos 32.6-10)

Apresenta as vantagens de uma vida piedosa, a partir da experiência do salmista.

As vantagens, mencionadas no texto, servirão como os tópicos para o sermão.

FALHAS DE UM FAZENDEIRO INFALÍVEL (Lucas 12.13-21)

Chama as pessoas a ouvirem sobre as falhas de alguém que se julgava infalível, mas terminou falhando.

ATESTADO DE MATURIDADE (Filipenses 2.14)

Mostra as características do crescimento, desafiando os ouvintes a buscarem a plena maturidade; a soma das características apresentadas serve como um atestado de maturidade.

BÊNÇÃOS DO CRESCIMENTO (Filipenses 2.15)

Apresenta as bênçãos do crescimento, despertando os ouvintes a darem evidência de uma vida amadurecida.

Título do Sermão com Divisibilidade

Um bom título pode ser dividido nos tópicos do sermão.

E quanto mais esboçável o título, quanto mais fácil será para o pregador trabalhar a estrutura de sua mensagem.

Quando o título não é divisível, o sermão se torna mais difícil não só de ser elaborado, mas, também, de ser comunicado.

Observe os exemplos, com os mesmos títulos já anteriormente apresentados:

PEDRAS NO UNGIDO DO SENHOR (2 Samuel 16.5-14)

  1. Pedras atiradas pela insatisfação
  2. Pedras atiradas pela ingratidão
  3. Pedras atiradas pela incompreensão

VANTAGENS DO HOMEM PIEDOSO (Salmos 32.6-10)

  1. Poder orar ao Senhor
  2. Escapar da tormenta
  3. Ser protegido pelo Senhor

FALHAS DE UM FAZENDEIRO INFALÍVEL (Lucas 12.13-21)

  1. Pretender planejar sem Deus
  2. Querer realizar sem Deus
  3. Esquecer a chamada de Deus

ATESTADO DE MATURIDADE (Filipenses 2.14)

  1. Expedido pela capacidade de contentamento
  2. Autenticado pela capacidade da boa convivência

BÊNÇÃOS DO CRESCIMENTO (Filipenses 2.15)

  1. A sensibilidade de ser no mundo
  2. A capacidade de conhecer o mundo
  3. A oportunidade de fazer no mundo Novidade

O inusitado chama mais a atenção do que o habitual.

Vocábulos bem conhecidos podem apresentar novidade quando usados de modo a tornar a frase interessante e atraente.

O título assim expresso tem mais condições de atrair, que uma frase habitual.

É preciso, entretanto, que o pregador tenha o bom senso de estabelecer títulos não apenas pela novidade, mas com as demais características que são necessárias ao bom título.

É melhor usar uma frase habitual, mas que traduz a ideia a ser comunicada, do que, em nome da novidade, lançar mão de palavras que pouco ou nada têm a ver com a mensagem a ser pregada.

Sabendo trabalhar as palavras, conseguimos frases que, além de pertinentes à pesquisa, apresentam novidade, como nestes exemplos:

  • ANIMO NO DESÂNIMO
  • CORAGEM PARA DIZER NÃO
  • DESTRUIDOR DESTRUÍDO
  • DOIS É MELHOR
  • DO CAOS À ORDEM
  • DO LADO DE FORA DA FESTA
  • A ELOQUÊNCIA DO SILÊNCIO
  • ESPERANÇA ATÉ NA MORTE
  • FALHAS DE UM FAZENDEIRO INFALÍVEL
  • FELICIDADE PASSAGEIRA
  • FLORESCENDO COMO OS LÍRIOS
  • FOME, NUNCA MAIS!
  • HOMEM DE DEUS – ANJO, PORÉM HOMEM.
  • LOUCO, POR QUÊ?
  • MISERICÓRDIA NA CASA DE MISERICÓRDIA
  • A MORTE MORRERÁ
  • NEM TUDO ESTÁ PERDIDO
  • PRÓXIMOS, TÃO PRÓXIMOS
  • O RÉU NÃO REAGE
  • SEGUIR PARA SERVIR
  • SEM PEDRAS
  • SOLITÁRIO NA MULTIDÃO
  • SONHANDO DE OLHOS ABERTOS
  • TRÊS FASES – TRÊS APROVAÇÕES

Título do Sermão com Comunicabilidade

As palavras que compõem o título devem ser próprias para a comunicação no púlpito.

É preciso o máximo cuidado com o que os nossos títulos comunicam.

O pregador deve terem mente a cultura do povo a quem vai transmitir o sermão.

Um título pode comunicar a realidade do sermão a um determinado público e ser completamente desaconselhável a outro auditório.

Vamos tentar compreender melhor:

Um pregador, a partir do texto da negação de Pedro (Marcos 14.66-72), enfatizou sua mensagem no canto do galo e deu ao seu sermão o título: “O galo da madrugada”.

Tais palavras jamais serviriam como título para um sermão a ser pregado no Nordeste do Brasil, especialmente no Recife, onde tal expressão denomina um famoso bloco carnavalesco.

Títulos com gírias devem ser evitados. Pois, o título faz parte da mensagem e do culto e deve condizer com o momento em que está sendo apresentado.

Título do Sermão com Simplicidade

O pregador deve usar palavras que tenham um sentido claro.

Caso contrário, a reação dos ouvintes será de surpresa e dúvida. Foi assim quando determinado pregador começou a falar e os ouvintes se entreolharam:

O título anunciado foi: “O SEMATO DO AVIVAMENTO”.

E difícil imaginar quantas pessoas compreenderam o que realmente o título comunicava.

Tudo quanto o pregador pretendia era apresentar sinais do avivamento.

Mas, falhou ao usar um vocábulo desconhecido, sem qualquer significação para a maioria dos ouvintes.

Outra tentação que o pregador precisa vencer é a de usar termos teológicos ou técnicos no título do sermão.

Títulos com vocábulos em outros idiomas, mesmo naqueles onde foram escritos os originais do Antigo e Novo Testamentos, devem ser evitados.

Título do Sermão com Objetividade

A pesquisa que fazemos, desde a ideia central do texto até o propósito básico e específico, ajuda na elaboração de um trabalho objetivo.

A objetividade no título pode ser testada por sua capacidade de síntese e comunicação. James Braga afirmou:

“O título é a expressão do aspecto específico a ser apresentado, formulado de maneira que seja um anúncio adequado do sermão”.

Um título objetivo expressa, em no máximo seis palavras, a ideia correta e contextualizada de tudo quanto o pregador deseja comunicar em sua mensagem.

Crane advertiu que, títulos plurais e gerais pecam contra a unidade Homilética.

Para ele, a chave para a unidade do título se encontra na limitação do seu próprio alcance.

Título do Sermão com Brevidade

Temos afirmado que o título é o menor resumo da verdade a ser comunicada no sermão.

Precisamos ter em mente, também, que o título é uma verdade incompleta, que se completa na tese.

Assim, o título não deve ser longo.

Um bom título dificilmente ultrapassa seis palavras.

Entretanto, não devemos ficar escravos desse princípio.

É melhor ter um título com mais palavras, comunicando de modo adequado, do que ter um título menor, cuja comunicação não expressa a mensagem a ser pregada.

O título: “DA MÃO QUE FERE À SOMBRA QUE CURA” (sermão narrativo, baseado em dois tempos na vida de Pedro) tem oito palavras, mas é melhor mantê-lo assim que tentar um resumo que o fará perder a força.

Vantagens de Um Bom Título do Sermão

Serve como alicerce na construção do sermão

Do título vêm as divisões.

Veja no capítulo 8, de modo ilustrado, que o título fica como um alicerce sobre o qual são erguidas as paredes do edifício que formam o todo da mensagem pregada.

Com um bom título, o pregador tem mais facilidade não apenas de formular os enunciados das divisões, no processo de elaboração, mas de enunciá-las com mais naturalidade, no púlpito.

Desperta a atenção do ouvinte

Um bom título é excelente recurso para despertar a atenção dos ouvintes ao assunto da mensagem.

O pregador pode lançar mão de uma expressão atraente, como: O Fracasso do Forte, baseado na experiência de
Pedro que, julgando-se o mais forte, fracassou.

Possibilita a inserção no boletim da igreja

Alguns pastores colocam os títulos de seus sermões nas ordens dos cultos dominicais, despertando o ouvinte para o assunto a ser pregado, antes mesmo do momento da apresentação da mensagem.

Ajuda a alcançar os que vão passando

Algumas igrejas publicam, em um mural externo, os títulos dos sermões a serem pregados no próximo domingo, com o objetivo de atrair a atenção das pessoas que estão passando.

É, de certa forma, o cumprimento das palavras do Senhor ao Profeta Habacuque (2.4):

“Escreve a visão, grava-a sobre tábuas, para que a possa ler até quem passa correndo”.

Valoriza a mensagem

A mídia investe tempo e dinheiro na elaboração de títulos para os seus produtos.

Isto deve servir como desafio a nós, pregadores da Palavra: devemos buscar bons títulos para as nossas mensagens.

Não devemos nos satisfazer com a primeira ideia que vem à mente, mas dedicar o máximo de tempo na pesquisa, buscando encontrar o melhor título.

Ajuda o pregador a não se desviar do assunto

Resultado de uma pesquisa séria, e declarado com palavras que expressam o sentido do texto e dos desafios a serem apresentados aos ouvintes, o título ajuda o pregador a direcionar sua exposição, sendo fiel ao assunto proposto.

Possibilita melhor sistema de arquivamento

Tendo o título de cada sermão, fica mais fácil ao pregador arquivar e posteriormente localizar os sermões elaborados e pregados.

Com um bom título, o pregador tem mais condições de dividir bem para pregar melhor.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima