Como preparar uma pregação expositiva?

como preparar uma pregação expositiva

Como preparar uma pregação expositiva? Aprenda nesse guia definitivo, os passos para preparar um bom sermão expositivo.

A pregação expositiva é considerada por muitos como a melhor maneira de comunicar as Escrituras. 

Esse estilo de pregação pega grandes pedaços da Bíblia e os explica no seu contexto, tratando os textos como pensamentos completos, desenvolvidos e complexos. 

A pregação expositiva também cobre, como Paulo afirma, “todo o conselho de Deus” (Atos 20:27), livros bíblicos inteiros ao longo de muitas semanas ou meses. 

A importância da Pregação Expositiva

Uma excelente exposição da Bíblia respeita a ideia original do autor e a adapta às situações da vida cotidiana. 

A Bíblia diz em Hebreus 4:12:

“Porque a palavra de Deus é viva e eficaz, e mais penetrante do que espada alguma de dois gumes, e penetra até à divisão da alma e do espírito, e das juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e intenções do coração” (Hebreus 4:12). 

Sua exposição das escrituras deve desafiar os ouvintes a permitir que Deus os transforme com Sua Palavra.

Ao longo da história, muitos grandes comunicadores usaram esse método como o preferido. 

Dos pais da igreja como John Chrysostom aos reformadores John Calvin, Ulrich Zwingli e John Knox, do príncipe dos pregadores Spurgeon aos nossos modernos McGee, Piper e MacArthur, a pregação expositiva tem sido uma arte a dominar.

Mesmo que haja alguns desafios com a apresentação de uma mensagem expositiva, certamente é acessível a todos os comunicadores que se preparam usando as diretrizes a seguir

Antes de preparar seu esboço de Pregação expositiva

Preparação

Nem é preciso dizer que antes de comunicar a verdade de Deus, há uma medida de planejamento que precisa estar presente. 

Visto que esse tipo de sermão é o mais recompensador, embora o mais desafiador de escrever, certifique-se de planejar seu tempo bem. 

Você deve investir cerca de 20 a 25% mais tempo do que na preparação de qualquer outro tipo de mensagem. 

Inclua em sua estratégia de tempo um longo período de reflexão e oração. 

Leitura

Leia a passagem da escritura que você selecionar. Leia várias vezes, tentando manter os olhos atentos na Palavra. 

Você pode fazer a leitura em diferentes versões da Bíblia. Mesmo que você tenha uma preferida para ler e pregar, veja outras versões, pois elas oferecem outras perspectivas e palavras. 

A ideia é obter uma visão aprofundada e ampla da passagem de várias fontes.

Observação e anotação  

O texto pode repetir uma palavra específica algumas vezes, o que normalmente indica sua importância. 

Observe essas palavras-chave para fazer alguma pesquisa sobre elas. 

Talvez o autor esteja compartilhando um conceito ou ideia principal, e você pode inferir isso por meio da repetição das palavras. 

Por exemplo, Paulo usa a palavra “unidade” ou ”um” mais de 15 vezes em Efésios 4.

Isso pode ajudá-lo a discernir o que o autor está tentando comunicar.

É útil começar a anotá-los, pois provavelmente se tornarão alguns dos pontos de seu sermão.

Meditação  

Davi declara: “Vou meditar nos Seus preceitos e pensar nos Seus caminhos” (Salmos 119: 15). 

A Palavra estará viva em você e enraizada em você. 

A obra do Espírito o lembrará do propósito do texto e o aconselhará quanto ao seu significado. 

Invista o seu melhor tempo para meditar na Palavra de Deus. 

Reflita sobre a intenção do autor, que foi o primeiro leitor. 

Compreender a hermenêutica é essencial nesta fase.

Depois de passar um tempo se preparando, estudando e meditando, você pode começar a escrever seu esboço com a expectativa de vidas sendo transformadas pela pregação da Palavra.

pregador-de-qualidade-biblioteca-do-pregador

Preparando o esboço da Pregação expositiva

Seu esboço é o esqueleto de sua mensagem. Quanto mais bem preparado, melhor ficará. 

Você poderá enriquecê-las com conteúdo, ilustrações e aplicações pertinentes.

Em toda grande mensagem expositiva, você encontrará os seguintes elementos em sua estrutura. 

Organização clássica 

Ao organizar seu sermão, você deve considerar cuidadosamente três seções essenciais: sua introdução, pontos principais e conclusão. 

Essas seções existem em todo tipo de sermão, mas, no modelo expositivo, você confia nelas para sustentar todo o conteúdo que deseja apresentar. 

Para fins de exemplo, usaremos o texto de Hebreus 11.

Introdução da Pregação expositiva

Uma introdução cria interesse e chama a atenção do seu público. 

Existem três coisas principais que você deseja realizar no início de seu sermão. 

Primeiro, apresente a ideia principal ou o ponto que deseja enfatizar no final da mensagem. 

Por exemplo, sua grande ideia em Hebreus 11 poderia ser que a fé inicia a ação, já que cada um dos personagens bíblicos discutidos agiu de acordo com sua confiança em Deus. 

Em segundo lugar, exponha porque você está pregando esta mensagem. 

E, por último, termine com uma frase de transição para seus principais pontos ou divisões.

Divisões da Pregação expositiva

Em cada um de seus pontos, você incorporará quatro ingredientes necessários para transformar a mensagem antiga, mas relevante, em um significado moderno que sua congregação possa viver na segunda-feira de manhã. 

As divisões explicam a interpretação e a explicação da passagem da escritura, sua aplicação na vida, bem como uma ilustração. Cada porção está bem unida às outras.

Interpretação e Explicação

Seria sábio usar comentários para esta parte, pois alguns estudiosos da Bíblia fizeram toda a pesquisa para você! É necessária uma exegese precisa do texto. 

A intenção autoral deve estar em sua exposição. As leis da hermenêutica são fundamentais para sua compreensão e interpretação.

Exemplo:

  • Por que o autor escreveu isso? 
  • Por que a geografia é importante? 
  • E por que esses detalhes são importantes?

Ao escrever sua estrutura, pense nas pessoas que irão ouvi-la. Eles precisam compreender a riqueza do texto. 

Conforme você desvenda as texturas e nuances da Palavra, isso dará suporte à próxima etapa. 

Aplicação da Pregação expositiva

O ”porquê” do texto irá instigar um efeito de ”o quê” no ouvinte. 

Se a interpretação significa “por que” o texto foi escrito, a implicação abre a questão” o que este texto significa para mim”.

Ligar a motivação do autor à realidade da vida moderna traz etapas de ação. 

Usando a ideia principal de Hebreus 11 de fé inicia ações, as implicações seriam ”que ações devo viver com minha fé agora?”. 

  • Como faço para viver esta parte da Palavra de Deus e como faço para que isso mude minha vida? 
  • Como vou viver esta mensagem no trabalho, em minha família e em meu relacionamento com os outros e com Deus? 

Visto que tornar Sua Palavra poderosa e viva para a comunhão de vida é a intenção desta parte, conecte-a intimamente à próxima parte. 

Ilustração

Na pregação expositiva, você deve contar histórias porque elas dão vida a conceitos abstratos. E eles inspiram. Eles permitem abertura no ouvinte. 

As histórias pintam um quadro de seu ponto principal e tornam o texto bíblico acessível a todos.

Filtros da Pregação expositiva

Ao preparar este esboço, você pode considerar que dois ou três pontos vinculados à sua ideia principal são mais do que suficientes para apresentar. 

Mesmo que tenha vontade de anotar tudo o que deseja comunicar, mesmo que sua pesquisa tenha sido frutífera, expresse as necessidades que só cabem nesses filtros. 

Esses cinco filtros são perguntas que você precisa fazer a si mesmo. E a resposta deve ser positiva. 

Se você puder responder afirmativamente a qualquer um desses filtros para cada um de seus pontos, o ponto não vale a pena para esta mensagem em particular, embora possa ser o início de seu próximo sermão.

  1.      Esta informação está ligada à ideia principal? 
  2.      Essas informações contribuem para a ideia principal?
  3.      Esta informação pode ser aplicável?
  4.      Esta informação é útil para o que estou tentando transmitir?
  5.      Posso comunicar claramente essas informações?

Conclusão da Pregação expositiva

Sua conclusão é tão vital quanto o resto do esboço, porque as palavras finais costumam ser aquelas que as pessoas lembram. 

Faça-o suave, curto e oscilante. Suavize para que se combine perfeitamente com seus pontos e ideia principal. 

Curto, pois você já gastou muito tempo com seus pontos. E oscilante porque deve inspirar seus ouvintes a agir e influenciá-los a  ”… ser cumpridores da palavra e não apenas ouvintes que se enganam.” (Tiago 1:22).

A Palavra de Deus é um guia (Salmo 119: 105) para aqueles que precisam de orientação, e é mais doce do que o mel (Salmo 119: 103) para aqueles que “Provam e vêem que o Senhor é bom” (Salmos 34: 8).

Agora você tem todos os elementos essenciais para elaborar seu melhor sermão expositivo. 

Dê o seu melhor, permitindo-se escrever, reescrever e repensar sua mensagem. 

Mas acima de tudo, prepare sua mensagem e pregue-a na direção de Deus!

Autor: Stephan Cote

pregador-de-qualidade-biblioteca-do-pregador

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima